segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Feng Shui

Ando cada dia mais interessada em Feng Shui.


Image and video hosting by TinyPic



Esta filosofia oriental, tem para mim cada vez mais cabimento e motivo de interesse.


Já conhecem?

Então porque não aprender mais sobre Feng Shui?

Cliquem e entrem:

FENG SHUI

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Que preguiça!!!!!!!!!!!

Não sei de é por ser 6ª feira,

Se é de ter dormido pouco,

Se é do tempo,

Ou se sou eu, que sou uma preguiçosa de mão cheia.

Mas hoje estou assim:


Image and video hosting by TinyPic


Bom fim-de-semana

Luisa
(a preguicite em pessoa hoje...)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Será que é de ti ou de mim??????

Image and video hosting by TinyPic

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Na escola em 1969 e em 2009...

Image and video hosting by TinyPic

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Tavas a pedi-las;)

domingo, 6 de setembro de 2009

O grito do Tarzan tem uma explicação!

Image and video hosting by TinyPic

sábado, 5 de setembro de 2009

Sabia que...

Os camarões têm o coração na cabeça?


Image and video hosting by TinyPic

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Rosa de Jericó

A rosa de jericó (Selaginella pilifera), também conhecida como flor da ressurreição, é uma planta do deserto que cresce no Oriente Médio e na América Central. Durante longos períodos de tempo estas plantas vivem em regiões desertas, crescendo e reproduzindo-se como qualquer outra planta, até o meio ambiente deixar de lhes favorecer uma existência saudável. Quando chega essa altura, as flores e as folhas secas caem e os galhos secos encolhem-se, formando uma bola. As plantas retiram as suas raízes do solo e permitem ao vento transportá-las pelo deserto, até chegarem novamente a um sítio húmido onde podem continuar a crescer e a propagarem-se. A bola volta a abrir-se totalmente e a soltar as suas sementes, que germinam. Assim que entram em contacto com água, as jovens plantas de aspecto seco começam rapidamente a florescer.
Pode dizer-se que estas plantas “sentem” o que fazem durante este processo, visto que não se mantêm necessariamente no primeiro sítio onde páram, mas investigam o local para verificarem se é adequado ao crescimento. Ali podem ficar, e crescer, ou então mudam-se várias vezes.